quinta-feira, 8 de março de 2007

Feliz Dia das Mulheres

Sobre o dia das Mulheres eu queria confessar que não tenho muita paciência para flores e beijos neste dia. Não que eu seja insensível, mas creio que um dia é pouco perto de tudo o que nós merecemos, por tudo quanto foi difícil até hoje no constante exercício da condição feminina. Eu jamais me referiria à dor do parto, por exemplo. A dor da partida machuca mais. A mãe do ano... a mãe do João Hélio. Queria fugir da violência que virou clichê, infelizmente, pelo descaso com que é tratada a vida no Brasil. Vida, aliás, que só acontece porque carregamos no útero, durante 9 meses, todo o planeta Terra. Esse é o primeiro motivo pela descomemoração deste dia. Não que a gente não mereça todas as honras, todos os abraços, todos os elogios que nos fazem ainda mais Mulheres.
Mas é que eu preferia que olhassem pra gente - sem qualquer pretensão feminista - como o início das coisas, e não como um potencial aumento nas vendas de flores.

Um comentário:

Luciane Fiuza de Mello disse...

Carol, felicitações pelo dia, ainda que atrasadas. Escreveu bem, como sempre. Nada flores. Preferimos que nos tratem como flores, como rosas perfumadas e cheias de espinhos. Beijocas,
Lu.